Bahia

“(…) A Bahia não é cidade de contrastes. Não é não (…)
Tudo aqui se interpenetra, se funde (…) sendo duas ou mais coisas ao mesmo tempo (…)
De contrastes seria se fosse uma cidade com coisas que uma nada tem que ver com a outra, mas aqui tudo tem que ver. Tudo está alinhavado, tudo surge de seu bojo magico com grossas raízes, profundas raízes que se alimentam de rezas, ladainhas, orikis, alujás, farofas de azeite o ano todo, bacalhau na semana santa, trêmula luz de velas nos altares e água fresca nas quartinhas dos pejis. Tudo misturado(…)”

Carybé

Mautner

“O futuro é noso, a velha política de esquerda e direita, de luta de classes, de Guerra Fria, vai acabar: Marcuse nao é nada comparado com o que vem. Vai ser chatíssimo: as lésbicas negras sadomasoquistas vao disputar direitos com os pais gays brancos protestantes…” (Jorge Mautner)

“(…)Sinto aquela coisa no meu peito
Sinto aquela grande confusão
Sei que eu sou um vampiro
Que nunca vai ter paz no coração

Às vezes eu fico pensando
Porque é que eu faço as coisas assim
E a noite de verão ela vai passando,
Com aquele cheiro louco de jasmim(…)

E na minha boca eu sinto
A saliva que já secou
De tanto esperar aquele beijo,
Aquele beijo que nunca chegou

Você é uma loucura em minha vida
Você é uma navalha para os meus olhos
Você é o estandarte da agonia
Que tem a lua e o sol do meio-dia.” (“Vampiro”, de Jorge Mautner)

 

Macrobiotica

Na cadeia ele achou oportunidade para exercitar uma espécie de ascetismo, deixou de comer carne, adivinhou sabedorias orientais que o levaram a estudos posteriores e à alimentaçao macrobiótica. Esta última, literalmente, mudou sua vida: seu corpo, sua pele, seu temperamento mudaram para melhor e para sempre. (Caetano Veloso)

Forma simple de probar un menú macrobiótico en Madrid: La Biotika

Terra

“(…) Um dia Dedé me trouxe uma revista Manchete com as primeirs fotografias da Terra tiradas de fora da atmosfera. Eram as primeiras fotos em que se via o globo inteiro -o que provocaba fote emoçao, pois confirmava o que só tínhamos chegado a saber por deduçao e só víamos em representaçoes abstratas- e eu considerava a ironia de minha situaçao: preso numa cela mínima, admirava as imagens do planeta inteiro, visto do amplo espaço.
Anos depois, já de volta a Bahia, compus uma cançao de que ainda hoje gosto muito (Terra) e cuja letra começa por referirse a esse momento (…) Esse acercamento sensual que se insinúa na consideraçao de que a Terra nao estava nua nas páginas da revista (…) me veio a mente sem dúvida por  causa das outras fotografias que mais me impresionavam na cela do PQD: as de mulheres seminuas que me enchiam de desejo e com que sonhava todas as noites” (Caetano Veloso)

 

Terra by Caetano Veloso on Grooveshark

“Quando eu me encontrava preso
na cela de uma cadeia,
foi que vi pela primeira vez
as tais fotografias,
em que apareces inteira
porem la nao estavas nua,
e sim coberta de nuvens…

Terra… Terra…
Por mais distante
o errante navegante
quem jamais te esqueceria…”

Brasil

“Meu nome é Caetano porque nasci no dia de sao Caetano, em louvor do qual minha mae manda celebrar missa todos os anos, mesmo na minha ausência. Nunca me senti uma exceçao por causa disso.

Santo Amaro nao tinha ricos nem pobres e era bem urbanizada e tinha estilo próprio: todos se orgulhavam com naturalidade de ser brasileiros.

Achávamos a língua portuguesa bela e clara. Dizíamos de bom grado que o francês (que aprendíamos no ginásio) era talvez uma língua ainda mais bela, e que o italiano (que ouvíamos freqüentemente nos filmes) seguramente o era (o espanhol dos filmes mexianos nos parecia bastante ridículo). Julgávamos o inglês fácil como matéria de estudo por possuir verbos pouco flexionados, mas implicávamos com as discrepâncias entre escrita e pronúncia, e lhe achávamos a sonoridade antes canina do que humana, embora os filmes e as cancoes nos atraíssem mais e mais para ele.

Quase todo o mundo era visivelmente mestiço. Que o pais fosse pobre nao era uma vergonha (embora eu passasse depois a torcer para que ele enriquecesse).

Supúnhamos que éramos pacíficos, afetivos e limpos. Era inimaginável que alguém nascido aqui quisesse viver em outro país” Caetano Veloso

Berimbau

“Berimbau”, de Baden Powell y Vinicius de Moraes

Quem é homem de bem não trai
o amor que lhe quer seu bem.
Quem diz muito que vai, não vai;
assim como não vai, não vem.

Quem de dentro de si não sai
vai morrer sem amar ninguém.
O dinheiro de quem não dá
é o trabalho de quem não tem
Capoeira que é bom não cai
e se um dia ele cai, cai bem.

Capoeira me mandou
dizer que já chegou,
chegou para lutar…

Berimbau me confirmou
vai ter briga de amor,
tristeza, camará…

Ê-è, camará…

 
Berimbau by Vinícius De Moraes on Grooveshark

Citas variadas

“El placer no debe llevarse al extremo del desenfreno; la pena no debe llevarse al extremo de la inmolación” – Confucio

“El problema de la humanidad es que los estúpidos están seguros de todo y los inteligentes están llenos de dudas” – Bertrand Russell

“Lo que me preocupa no es el grito de los malos, sino el silencio de los buenos” – Martin Luther King

“No sobrevive la especie más fuerte, ni la más inteligente, si no la que mejor se adapta a los cambios.” – Charles Darwin

“No hay tiranía peor que la de una conciencia retrógrada o fanática que oprime a un mundo que no entiende en nombre de otro mundo que es inexistente” – George Santayana

“Tiene que vivir despacio, para poder ver pasar la vida” Flora Purim.

“Tempus fugit, carpe diem. Vita brevis, carpe diem” Rodrigo Leão.

“Quis custodiet ipsos custodes?” Juvenal.

“Sólo hay dos clases de hombres: los justos que se creen pecadores, y los pecadores que se creen justos” Blaise Pascal.

“Sólo hay dos clases de hombres: los que dividen a los hombres en dos tipos, y los otros”. Chesterton.

“Buscad la belleza. Es la única protesta que merece la pena en este asqueroso mundo”. Ramón Trecet.

“Primero arrestaron a los comunistas; como yo no era comunista, no hice nada. Más tarde vinieron a por los social demócratas, pero como yo no era social demócrata, no hice nada. Cuando vinieron a por los sindicalistas, no protesté, porque no era un sindicalista. Luego vinieron a por los judíos, pero como yo no era judío no hice nada. Finalmente vinieron a por mí y me arrestaron, y ya no quedaba nadie para protestar “. Martin Niemoeller

“(…) O pensamento criador submergido, afogado pelas teorias, pelos conceitos dogmáticos, o avanço do homem travado por regras imutáveis? Sonho com uma revolução sem ideologia, onde o destino do ser humano, seu direito a comer, a trabalhar, a amar, a viver a vida plenamente não esteja condicionado ao conceito expresso e imposto por uma ideologia, sea ela qual for (…) Fugi no início do terceiro ano, atravessei o sertão da Bahia no rumo de Sergipe, iniciando minhas universidades.” Extraido de “O menino Grapiuna”, de Jorge Amado.

“Quem de dentro de si não sai
vai morrer sem amar ninguém (…)
Capoeira que é bom não cai
mas se um dia ele cai, cai bem (…)” – “Berimbau“, de Baden Powell y Vinicius de Moraes

“En mi cabeza tengo una especie de mapa cultural, en el que encuentro similitudes entre diferentes culturas. Por ejemplo, para mi la música pop japonesa suena como la música árabe: la entonación vocal, el vibrato… En mi mente, Bali está al lado de Nueva York” – Ryuichi Sakamoto

Nuevas citas en 2011:

“Dos capitanes hunden el barco” (proverbio persa)

“El hombre sabio instruye sin palabras” (proverbio chino)